Entender os conceitos de faturamento e lucro é fundamental para se gerenciar as finanças de uma empresa de maneira correta e, assim, garantir a permanência e o crescimento do negócio. Você sabia que, mesmo se faturar milhões, um estabelecimento pode estar perto de falir? Sim, essa situação é possível. Por isso, é importante o empreendedor conhecer conceitos de gestão financeira para estabelecer uma margem de lucro capaz de pagar os gastos do negócio e ainda haver retorno sobre o investimento.

Confira, a seguir, algumas diferenças entre faturamento e lucro:

O que é faturamento

O faturamento de uma empresa diz respeito às receitas originadas com as vendas do negócio. Quando o estabelecimento vende algo para o cliente, seja à vista ou a prazo, emite uma fatura. Logo, o faturamento também pode ser considerado o conjunto de faturas de determinado período.

Se uma empresa faturou R$ 100 mil em 1 mês, não significa, necessariamente, que todo o dinheiro entrará no caixa. Afinal, podem ter ocorrido vendas a prazo.

Vale lembrar que o faturamento é usado para definir o regime tributário das empresas, bem como o porte do negócio.

O que é lucro

O lucro é o resultado positivo após a subtração entre receitas e gastos em certo período. Se o resultado for negativo, a empresa teve prejuízo. Nos gastos, incluem-se os custos:

  • de produção (matéria-prima, maquinário, energia etc.);

  • despesas (telefone, material de escritório etc.);

  • e tributos.

Para se manter no mercado, a empresa precisa encontrar o seu próprio ponto de equilíbrio, que é a quantidade mínima de vendas que precisa fazer para que as receitas se igualem aos gastos. Depois de alcançado esse ponto, o negócio passa a ter resultado positivo.

Por que não confundir faturamento e lucro

Muitos empresários iniciantes, na euforia de um faturamento alto, começam a fazer retiradas do caixa do negócio. Essa prática pode trazer muitos prejuízos e até levar a empresa à falência. Afinal, como já vimos, faturamento não é igual a lucro.

Com a receita vinda do faturamento, o empreendedor terá que pagar os custos de produção, as despesas e os tributos.

Se tiver lucro — que é o objetivo de qualquer negócio —, é recomendável que parte desse resultado positivo seja reinvestido no empreendimento. Dessa forma, a empresa pode se tornar mais competitiva no mercado, além de ter uma base mais sólida para aguentar eventuais momentos desfavoráveis na economia.

A importância do fluxo de caixa

Além dos conceitos de faturamento e lucro, o empresário deve ter domínio do fluxo de caixa. Com esse instrumento de gestão, o empreendedor poderá monitorar as entradas (receitas) e as saídas (gastos) do negócio em determinado período, geralmente mensal.

O fluxo de caixa é muito importante para que o gestor administre, por exemplo, as receitas das vendas a prazo e os pagamentos aos fornecedores.

Por exemplo: se houve uma venda de R$ 1.000,00 parcelada em 5 vezes de R$ 200,00, e se a empresa terá que fazer o pagamento de R$ 500,00 para um fornecedor no mês seguinte ao daquela venda, precisará ter o chamado capital de giro para poder honrar o compromisso com o parceiro.  

No início de carreira, você já chegou a confundir faturamento e lucro? Compartilhe sua experiência em nosso campo de comentários!

 

Gostou do nosso post? Conheça nosso modelo de franquia no site www.topenglish.com.br/franquias/ 

Acesse um dos materiais abaixo e conheça mais sobre franquias

images 

Entenda os caminhos para adquirir uma franquiaConheça a franquia de sucesso, tenha seu próprio negócio!