A internet e as novas tecnologias têm modificado consideravelmente o universo da educação, dando novo significado aos processos de aprendizagem, pois permitem ao discente desenvolver a capacidade de obter os conhecimentos mais relevantes. Não há como negar que são novos tempos para o setor educacional, em que o empreendedorismo assume papel fundamental e passa a ter ligação direta com ele. Se uma Instituição de Ensino busca ser referência no mercado em que atua, ela precisa evoluir junto para não perder credibilidade. Dentro deste cenário, trouxemos neste post as principais tendências para a área da educação em 2019, e como o empreendedor pode utilizá-las para melhorar o seu negócio. Confira!

Importância de estar atento às novas tendências

O acelerado desenvolvimento tecnológico que vivenciamos hoje tem gerado bons resultados para o mercado educacional, que vem se mostrando um setor bastante competitivo. Diferentes tendências para a área da educação surgem e as Instituições de Ensino precisam estar atentas ao que há de novo no aprendizado; para permanecerem em destaque no mercado, atraindo e atendendo às expectativas de novos clientes.

Em uma era caracterizada pela diversidade de informações, pensamentos e paradigmas, é fundamental que a escola seja um espaço educativo em que se possa construir aprendizagens de modo que possibilitem acompanhar as mudanças no mundo.

Empreendedorismo e a Instituição de Ensino

A educação atual não é tarefa das mais fáceis. Há a necessidade da busca por profissionais da área cada vez mais qualificados, capazes de educar além do óbvio, pois com tantas mudanças vertiginosas, um piscar de olhos é suficiente para o inovador já ser interpretado como ultrapassado. Por isso, é de extrema importância acompanhar a evolução do ensino.

Para a Instituição que deseja empreender e atuar sempre de forma inovadora, uma das alternativas para que isso aconteça é investir em novas tecnologias e metodologias de ensino. Isso implicará na construção de uma identidade e no alcance do objetivo principal da Instituição: desenvolver um aprendizado de qualidade de forma que o aluno tenha todo o preparo necessário para a sua vida profissional e também pessoal.

Empreendedorismo e o educador

Quando se fala em empreendedorismo, geralmente se associa à ideia de criar novas oportunidades, gerir empresas, alcançar sucesso, renda e riqueza. Mas vai muito além disso. Empreender é buscar um crescimento pessoal e coletivo, um desenvolvimento da capacidade de solucionar problemas, tomar decisões, ter iniciativa, autonomia e orientação inovadora. Qualidades cada vez mais exigidas em um profissional. E com o da área da educação não é diferente.

Foi-se o tempo em que o professor se submetia a repetir o mesmo conteúdo durante toda a sua carreira profissional. Muitos estão vendo a oportunidade de empreender, de quebrar paradigmas tradicionais e desenvolver soluções para a educação de modo criativo.

Além disso, o empreendedorismo também está diretamente ligado ao educador devido ao fato de ele saber liderar turmas de alunos e se relacionar com pessoas, características de qualquer tipo de empreendedor.

Por isso, hoje, é de extrema importância que o educador invista em seu crescimento e desenvolvimento profissional; que ele busque maneiras de modificar a realidade que não mais atende aos interesses da coletividade. E para inovar é preciso ter espírito empreendedor.

Principais tendências para a área da educação em 2019

O que diferencia o empreendedor dos demais profissionais é que ele enxerga situações que podem ser melhoradas na sua empresa como oportunidades e não como problemas. Elencamos, a seguir, as principais tendências para a área da educação em 2019. Veja se alguma delas ou todas elas se adequam a sua Instituição de Ensino, ajudando a trazer melhorias e mantendo-a sempre atualizada.

1) Educação 4.0

A educação 4.0 veio para ficar. Este termo é uma extensão do uso da tecnologia dentro das salas de aula. Está ligado à revolução tecnológica que engloba a Linguagem Computacional, Programação (Coding), Internet das coisas, Inteligência Artificial, Robótica, Realidade Virtual, Big Data e outras tecnologias que dinamizam os processos nos segmentos da indústria tecnológica. Contempla o “learning by doing”, que como a própria tradução diz: aprender fazendo. Pode-se afirmar que é o processo pelo qual através do aprendizado constrói-se valores, conhecimentos e habilidades, a partir de experiências.

Para muitos educadores ligados ao tema, o modelo pautado na cultura maker (faça você mesmo), em que os alunos colocam a mão na massa, é um ótimo caminho.

2) Tecnologia nas salas de aula

Na verdade, a tecnologia não é nenhuma novidade para o ano de 2019. O que a Instituição de Ensino precisa ficar atenta é que a cada ano surgem novas ferramentas que contribuem para o processo de aprendizagem. Uso de plataformas online, jogos simulando a realidade… Esses recursos são bastante interessantes para desenvolver a criatividade e aumentar a participação em sala de aula.

Se a escola quiser se diferenciar das demais, é fundamental buscar esses novos métodos e inserir o aluno nesse ambiente digital.

3) Personalização da aprendizagem

A proposta de oferecer um aprendizado sob medida para atender às necessidades e características de cada aluno deve ser consolidada neste ano. O objetivo é explorar o potencial do estudante, levando em consideração sua história, experiências e competências. O educador irá ajudá-lo a navegar pelos diferentes recursos de aprendizagem, os mais adequados ao seu perfil. Um suporte tecnológico é essencial, pois com ele é possível direcionar o caminho do aluno, individualmente, a partir do seu rendimento ou frequência de acesso aos conteúdos.

4) Aprendizagem socioemocional

Entre as principais tendências para a área da educação de 2019 estão as novas disciplinas que priorizam o desenvolvimento de competências socioemocionais. São incluídas metodologias que desenvolvem o soft skills – habilidades subjetivas, de difícil identificação e diretamente relacionadas à inteligência emocional das pessoas -, como resiliência, empatia, autogerenciamento, fluência de ideias, relação interpessoal, capacidade de expressar emoções, entre outras. São determinantes não apenas durante o período escolar, mas para outras etapas da vida acadêmica, profissional e pessoal do aluno.

5) Aprendizagem ativa

O educador é visto pelo aluno como um tutor, um guia para auxiliá-lo no seu aprendizado, e não mais como um meio de transmissão de conteúdo apenas. Ele também já não quer mais ocupar uma função passiva ao longo da sua jornada de aprendizagem. Isso estimula o trabalho em equipe, o pensamento criativo, a resolução de problemas, a superação de desafios. Cabe às Instituições de Ensino e ao professor identificar quais estratégias e tecnologias podem gerar melhor resultado.

6) Idioma adicional

Aprender outro idioma é quesito fundamental para uma melhor qualificação no mercado de trabalho. O ensino de línguas adicionais ganha papel de destaque nas Instituições de Ensino atuais. Com o mundo cada vez mais interligado digitalmente, o discente tem que ter capacidade de atuar nos mais diferentes cenários da atualidade.

7) Conscientização e inclusão

Investir na educação inclusiva também é uma das tendências na área da educação para este ano de 2019. Há vários alunos com síndromes, deficiências e transtornos que, assim como os demais, também querem e merecem um ensino de qualidade. Diferenças existem e devem ser respeitadas. O educador deve estar sempre atento para as peculiaridades e necessidades desses estudantes.

Dicas de como o empreendedor pode utilizar as principais tendências para a área da educação em 2019 para melhorar o seu negócio

Para conseguir melhorar efetivamente o seu negócio, o profissional empreendedor precisa desenvolver algumas habilidades importantes. Veja, a seguir, algumas dicas de como ele pode estar utilizando as tendências citadas acima, ajudando-o a se inserir e se destacar no mercado e no mundo do empreendedorismo:

Amor pela profissão  

Para ver oportunidades de empreendedorismo, o educador precisa amar o seu trabalho, fazendo, assim, com que os estudantes amem o aprendizado. Dessa forma, o professor vai em busca de novos métodos para que seus alunos se empolguem cada vez mais com o que é lecionado.

*E assim ele começa a empreender, pois o lado empreendedor necessita desse entusiasmo, fazendo o negócio desenvolver.

Adaptação às novas tecnologias

A diversidade de aplicativos existentes abre um leque de oportunidades. São recursos inovadores que oferecem soluções com interessantes métodos de aprendizado e ferramentas para gestão escolar.

* Essas plataformas interativas podem mudar o relacionamento do profissional com o mercado. As novas metodologias vieram para aperfeiçoar o processo educacional, ajudando o educador a encontrar formas de ensino diversificados.

Integração educador-aluno

Tanto o educador quanto o empreendedor devem saber trabalhar em grupo. É preciso que haja integração na sala de aula, em que o professor  e o aluno trabalhem juntos no aprendizado. Essa aproximação faz com que a aprendizagem torne-se mais motivadora, auxiliando no desempenho escolar, pois com o estímulo, o interesse pelas atividades aumenta, assim como a produtividade dos estudantes.

*Para o empreendedor, há uma oportunidade de desenvolver-se profissionalmente nesse tipo de postura. O educador pode se tornar peça-chave para o negócio, ao se mostrar proativo, ajudando na integração e desenvolvimento de outros setores da Instituição.

Conhecimento do público

Para que haja um bom empreendedorismo, é necessário conhecer o seu público. O educador precisa entender quais são as reais dificuldades do aluno, o que o estimula e desestimula no aprendizado; além de saber como tornar uma aula interessante de forma a prender a sua atenção.

*O empreendedor é que domina a forma de adequação das aulas ao seu público específico. É ele que sabe identificar tendências de mercado, oferecendo soluções atraentes para o tipo de produto em que o seu cliente está mais interessado.

Liderança

Para que o empreendimento dê certo, é preciso saber organizá-lo da melhor maneira possível. É necessário saber lidar com sua equipe, despertar a vontade nas pessoas de fazer parte do seu negócio.

Conclusão

Agora que você já conhece as principais tendências para a área da educação para 2019 e como usá-las no seu negócio, já pode começar a pensar em implementá-las na metodologia da sua Instituição de Ensino.

Como você pode observar também, o empreendedorismo tem relação direta com o setor educacional. Pessoas interessadas em empreender podem criar e vender soluções em educação que realmente ajudem os estudantes a desenvolverem seu aprendizado. Por isso, é muito importante estar atualizado e informado com tudo o que acontece fora do seu ambiente escolar. É essencial buscar novos métodos de ensino, para que ele e o aprendizado sejam prazerosos. Além de fazer com que o aluno seja proativo e crie sua própria rotina de estudos.

A Instituição deve promover uma educação de inserção social de seus estudantes, respeitando as especificações de cada um deles. Assim, ela se destacará com relação às demais, pois estará cuidando do mais importante, que é a qualidade de ensino ofertada aos seus alunos.