Nos últimos anos o empreendedorismo feminino vem crescendo no Brasil e cada vez mais a  liderança feminina ganha força no mercado de trabalho. Por atingirem resultados surpreendentes, hoje há muitas mulheres em posição de destaque nesse mercado empreendedor,  ingressando, muitas das vezes, em setores que antes apresentavam baixa representatividade feminina. E não é preciso ir muito longe para encontrarmos exemplos inspiradores dessas mulheres, independente de suas histórias de vida ou poder aquisitivo. Em homenagem a semana da mulher, vamos contar as trajetórias de algumas dessas empreendedoras que fizeram a diferença. Certamente elas servirão de inspiração por sua força, determinação e competência dentro do empreendedorismo brasileiro. Confira!

 

Mulheres empreendedoras em alta no mercado

Cada vez mais as mulheres têm demonstrado sua força como empreendedoras de sucesso. Pesquisas mostram que o Brasil é o sétimo país com maior participação feminina entre os empreendedores iniciais. O empreendedorismo feminino cresce todos os anos, impactando positivamente o mercado tanto nacional como internacional. 

Outras pesquisas também mostram que as mulheres já representam mais de 51% do total de empreendedores brasileiros. Isso só confirma que, mais do que nunca, o empreendedorismo feminino está em alta.

 

Empreendedoras que fizeram a diferença 

 

Confira, agora, algumas empreendedoras que fizeram a diferença. São, acima de tudo, mulheres determinadas que, mesmo em meio a dificuldades, decidiram mudar suas vidas. São elas:

 

# Zica Assis

zica-assis

Heloísa Helena de Assis, mais conhecida como Zica Assis, é a fundadora da maior rede especializada em cabelos crespos e ondulados do Brasil, o Instituto Beleza Natural.

Veio de uma família humilde, de 13 filhos. Seu pai era biscateiro e sua mãe trabalhava como lavadeira. Para ajudar no sustento da casa, começou a trabalhar com 9 anos de idade como babá, empregada doméstica e faxineira. Sofria preconceito devido ao seu cabelo cacheado e volumoso. Sua insatisfação constante com seus cabelos crespos e amarrados, fez com que ela fizesse um curso de cabeleireiro. Após dez anos, através da mistura de alguns produtos, encontrou uma fórmula relaxante, capaz de domar os fios sem a necessidade de alisá-los. E pensou em expor esse produto para mudar a vida de várias outras mulheres.

Na década de 90, depois de convencer o marido a vender o carro que ele usava para trabalhar, ela inaugurou seu primeiro salão especializado em cabelos ondulados cacheados e crespos. Abriu um novo nicho de mercado que até então não era muito explorado. A partir daí começou o seu sucesso e ela não parou mais. O negócio cresceu, e hoje o Instituto Beleza Natural possui filiais no Brasil e Estados Unidos. Em 2013, Zica foi considerada pela Forbes uma das 10 mulheres mais poderosas do Brasil.

Uma mulher que descobriu uma forma de buscar superação e autoestima na própria vida e na dos seus clientes. Sem dúvida uma empreendedora de sucesso que fez a diferença.

 

# Luiza Helena Trajano 

Luiza Helena Trajano, dona das lojas Magazine Luiza.

Esse é o rosto por trás da rede de lojas Magazine Luiza, uma das maiores marcas do varejo do país. Sem sombra de dúvidas, uma das empreendedoras mais conhecidas e influentes do Brasil. Foi uma das primeiras a ingressar no e-commerce brasileiro. 

Desde seus 12 anos sonhava em comprar presentes na época de Natal para a família, por conta disso decidiu trabalhar na loja do tio para conseguir o dinheiro (hoje ela está a frente dessa mesma loja que pertencia a esse mesmo tio desde os anos 50). 

Antes de se tornar presidente da rede, Luiza Helena passou por todos os setores do comércio da família, uma rede de lojas que havia sido comprada pelos seus tios na cidade de Franca, interior de São Paulo. Sua entrada como diretora foi decisiva para que o negócio decolasse. Passou a comprar as lojas dos concorrentes nas cidades vizinhas e chegou bombando na capital de São Paulo. Luiza Helena Trajano é uma das mulheres mais poderosas do Brasil. 

A empresa está no ranking das “Melhores empresas para se trabalhar” há 22 anos consecutivos. Hoje, ela atua como Presidente do Conselho de Administração do Magalu e é Embaixadora Endeavor, e divide suas horas em inspirar, mentorar e investir em empreendedores por todo o Brasil. Atualmente, as lojas da Magazine Luiza estão presentes em todo o país e a marca se consolidou com uma das principais lojas de departamentos on-line e off-line.

Sem dúvida, Luiza Helena é uma das mulheres mais poderosas do Brasil e uma das maiores referências do empreendedorismo feminino.

 

# Ana Lúcia Fontes

ey-ana-fontes

Mesmo sem muitos recursos, os pais de Ana Fontes investiram na educação dos filhos. Estudando em escola pública, Ana se formou em Publicidade e Propaganda em uma faculdade particular. As mensalidades eram pagas vendendo bolos e com a ajuda de vizinhos. Fez ainda pós-graduação em Marketing e em Relações Internacionais. Ainda assim, nada parecia ser o suficiente para que ela crescesse nas empresas em que trabalhou. Chegaram a elogiar seu currículo, mas não a promoveram por ser mulher. Mas isso não a desmotivou. A vontade de crescer aumentou ainda mais depois de Ana se tornar mãe.

Em 2007, decidiu abrir sua primeira empresa, uma plataforma na Internet para recomendação de serviços de qualidade. Depois de muitos erros e acertos, a virada ocorreu em 2010: foi selecionada para participar do programa “10.000 mulheres da FGV”, criado pela Fundação Getúlio Vargas. Se aventurou, ainda nesse mesmo projeto, na criação de um blog para abordar os medos, dúvidas, desafios e turbulências das mulheres empresárias. Blog esse que evoluiu tornando-se a Rede Mulher Empreendedora (RME), uma das primeiras e maiores plataformas de apoio ao empreendedorismo feminino do Brasil. Com a ajuda de parceiros, promove uma série de ações para ajudar os mais necessitados a conquistar sua independência financeira e tomar suas próprias decisões de vida. Já ajudou mais de 270 mil empreendedoras de sucesso.

Ela desenvolveu o “Ela Pode”, programa de treinamento que contou com o investimento de R$1 milhão do Google.

Outra grande empreendedora do nosso país.

 

# Cristina Junqueira 

cristiana-junqueira

Cofundadora do Nubank, Cristina Junqueira, criou a fintech financeira em 2013, insatisfeita com os altos juros e tarifas das grandes instituições financeiras, e do péssimo atendimento ao cliente. 

Formada em Engenharia de Produção na USP, fez mestrado e MBA em Negócios na Kellog School of Management. Trabalhou no Itaú como analista interna. Assumiu, aos 24 anos, um cargo de liderança no Unibanco, no setor de seguros para pequenas e médias empresas.

Foi convidada para desenvolver um projeto na área de cartões, mas suas ideias inovadoras  não foram bem aceitas pelo banco. Então, Cristina as aproveitou e começou com o seu negócio, oferecendo cartão de crédito sem taxas e com comunicação direta com os clientes. De lá pra cá, a fintech tem sido um grande sucesso e atualmente possui aproximadamente 26 milhões de clientes. Em 2014, foi lançado seu primeiro produto, um cartão de crédito sem anuidade, já utilizado por 13 milhões de pessoas. Desde o lançamento do primeiro produto, a startup vem continuamente introduzindo novos recursos, como opções de cartão de débito, programas de pontos e contas digitais.

Cristina Junqueira fez história se tornando a primeira mulher brasileira a aparecer na capa da Forbes grávida, com um barrigão de 40 semanas. 

Outra grande referência no mercado empreendedor feminino brasileiro.

 

# Chieko Aoki

chieko-aoki-divulgacao1

CEO e fundadora de uma das maiores redes hoteleiras do país, a Blue Tree Hotel. Nasceu no Japão e veio para o Brasil quando tinha seis anos. Mais tarde se naturalizou brasileira. 

Fez a maior parte de sua carreira fora do país, atuando no ramo de hotelaria em países da Europa, Ásia e nos Estados Unidos. Com o intuito de fazer o seu próprio negócio, retornou para o Brasil em 1992. 

Sua rede de hotéis se tornou um grande sucesso. Chieko Aoki ficou conhecida pela quantidade de prêmios que possui. É hoje uma das empresárias mais respeitadas do país.

 

# Sônia Hess

dudalina-1024x654

Líder da Dudalina, uma das maiores redes de camisaria do país. A empresa leva o nome de seus pais, seu Duda e dona Lina que fundaram, por acaso, o que Sônia transformaria no que o negócio é hoje. 

Visando abastecer a pequena loja de secos e molhados que os pais de Sônia gerenciavam, seu Duda acabou comprando tecidos além do necessário. Dona Lina fez camisas que rapidamente foram vendidas, o que levou ao nascimento de um novo negócio. As vendas cresceram e, após 12 anos, foram adquiridas duas lojas no Balneário de Camboriú. Uma ficou com o pai e os filhos, a outra com a mãe e as filhas.

Assumindo em 2003 a presidência da marca, Sônia Hess intensificou os investimentos em infraestrutura, tecnologia, sustentabilidade e gestão de pessoas; intensificando ainda mais o crescimento da Dudalina. 

Após 9 anos, Sônia recebeu o prêmio ADVB como Personalidade de Vendas, se tornando a primeira mulher a ser premiada em 50 anos. Foi considerada, pela Forbes, uma das mulheres mais poderosas.

Mais uma empreendedora que soube fazer a diferença.

 

Conclusão

Essas são apenas algumas empreendedoras que fizeram – e fazem – a diferença. Ao ver essas histórias inspiradoras dessas mulheres de sucesso, podemos tirar várias lições, principalmente para quem tem o desejo de empreender. Dentre elas, nunca deixar de aprender e inovar e, o mais importante, nunca desistir. Muitas sofreram algum tipo de preconceito por serem mulheres. Outras batalharam muito por serem de origem humilde. Já outras precisaram só de um empurrãozinho para seus projetos ganharem vida. Entretanto mesmo com pontos de partida diferentes, chegaram ao mesmo destino: o sucesso. 

Com tantas lições aprendidas, se depender do exemplo dessas grandes empreendedoras, acho que encontraremos cada vez mais mulheres querendo seguir em frente com seus projetos. Sabemos que o caminho a ser percorrido é longo, mas o aumento da presença feminina no ramo do empreendedorismo só mostra que as mulheres estão mais do que preparadas. 

 

E aí, alguma das histórias dessas mulheres de sucesso te inspirou? Conta pra gente nos comentários! 

podcast