Halloween, também chamado de Dia das Bruxas, é uma celebração popular de culto aos mortos comemorada anualmente no dia 31 de outubro. A cultura é muito forte em países de língua anglo-saxônica (países da América do Norte, que tem o inglês como principal idioma), sobretudo nos Estados Unidos. Com o tempo, o feriado ganhou popularidade e hoje é comemorado, ainda que em menor escala, em grande parte do mundo. No post de hoje você vai conhecer tudo sobre o Halloween. Vamos falar sobre o surgimento dessa festa, curiosidades e como ela é celebrada nos países de língua inglesa. Confira! 

De onde vem o nome Halloween?

Ao contrário do que muitos pensam, o Halloween tem suas raízes não na cultura norte-americana, mas no Reino Unido. Etimologicamente, a palavra “halloween” é derivada da expressão inglesa “hallow evening”. O nome é derivado de “All Hallows’ Eve” (Véspera de todos os santos). “Hallow” quer dizer “santo”, e “eve” é o mesmo que “véspera”. O termo designava a noite anterior ao Dia de todos os Santos, celebrado em 1º de novembro. 

Acredita-se que a festa, que acontecia entre os dias 31 de outubro e 1º de novembro, celebrada pelos povos celtas, se chamava Hallow Evening e foi abreviada, mais tarde, para Hallowe’en, até chegar ao nome atual Halloween.

O Dia das Bruxas se espalhou por todo o mundo, mesmo sendo considerado parte de uma cultura tipicamente americana e irlandesa. Assim, adaptou-se através do sincretismo das superstições e lendas de cada região, com o conceito moderno norte-americano do Halloween. 

Como tudo surgiu?

Historiadores contam que as primeiras comemorações do Halloween teriam surgido há mais de 2,5 mil anos a.c., com os celtas, um povo que viveu na região em que hoje ficam a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda. A celebração original era chamada de Samhain (pronuncia-se “so-in”), que significa “Fim do Verão”, e durava 3 dias. Era o final de um ano e começo de outro, o fim da “temporada do sol” e o começo do frio, quando chegava o inverno e a terra congelava. Eles acreditavam que no último dia do verão (31 de outubro no antigo calendário celta) abria-se um portal entre o mundo dos mortos e dos vivos, e os mortos e espíritos malignos saíam de suas tumbas para atormentar os vivos. Retornavam para visitar suas casas, amaldiçoar seus animais e suas colheitas.  

Todos tinham muito medo dessa, digamos, visitinha anual e, para assustar estes fantasmas e ao mesmo tempo se protegerem, os celtas decoravam suas casas com objetos macabros, como caveiras e ossos; e se vestiam com máscaras e fantasias para não parecerem humanos e, assim, despistarem os espíritos malignos. Agindo dessa forma, acreditavam que os afugentariam, pois diziam que tais espíritos se apoderavam das pessoas.

Conquista romana

Tempos depois, os romanos conquistaram os celtas e seus costumes se misturaram com os do lugar. Na mesma época do Samhain, comemoravam o Dia de Pomona, deusa que protegia a agricultura, frutas e jardins. Assim, foram incluídas na antiga festa celta, espigas de milho e maçãs, que simbolizavam fartura de alimentos para as colheita do ano seguinte. 

Mais tarde, o feriado foi somado ao que a Igreja comemorava em primeiro de novembro, chamado de All Hallows Day (Dia de Todos os Santos). E o dia anterior, o 31 de outubro, ficou conhecido como Hallows Eve, ou véspera de Todos os Santos, dando origem ao nome Halloween que conhecemos hoje.

Como surgiu o Dia das Bruxas?

A festa foi condenada na Europa durante a Idade Média por ser considerada uma festa pagã, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Todos que comemoravam esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição, acusados de bruxaria e prática de magia negra. 

Tentando cristianizar a data para diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja criou o Dia de Finados (2 de novembro). 

Qualquer que fosse o objetivo, a nova data para este dia fez com que a celebração cristã dos santos e de Samhain fossem unidas. Dessa forma, tradições pagãs e cristãs acabaram se misturando.

Entretanto as pessoas não esqueceram as festas originais dos celtas e continuaram a acender fogueiras e dançar em volta fantasiadas de esqueletos, diabinhos, fantasmas e monstros. E conservaram várias das superstições desse festival.

O Dia das Bruxas que temos conhecimento hoje tomou forma entre 1500 e 1800.

Antigos costumes do Halloween 

Você sabia que as fogueiras se popularizaram a partir do Halloween? Elas eram utilizadas na queima do joio, que celebrava o fim da colheita no Samhain, como símbolo do rumo a ser seguido pelas almas cristãs no purgatório o para afastar a bruxaria e a peste negra. 

Outro costume do Halloween era o de prever o futuro. Eram previstos o nome do futuro esposo ou esposa e a data da morte de uma pessoa. 

O escritor escocês, Robert Burns, descreve em seu poema Halloween, escrito em 1786, formas com as quais uma pessoa jovem poderia descobrir quem seria seu grande amor. Por exemplo, uma pessoa puxava uma couve ou um repolho do solo, acreditando que seu formato e sabor forneciam pistas cruciais sobre a profissão e personalidade do futuro cônjuge.

Se uma moça descascasse uma maçã sem que a casca se rompesse e atirasse-a para trás, por cima do ombro, à meia-noite, ao cair no chão ela formaria a inicial do nome do futuro esposo. Também pescavam com a boca maçãs marcadas com as iniciais de vários candidatos e a leitura de cascas de noz, ou olhavam um espelho e pediam ao diabo para revelar o rosto da pessoa amada.

As igrejas católicas costumavam tocar seus sinos, às vezes a noite toda. Essa prática incomodava tanto que o rei Henrique 3º e a rainha Elizabeth tentaram bani-la, mas sem sucesso. Mesmo com multas regulares a quem praticasse a ação, deram continuidade ao ritual. 

Nos países anglo-saxões a tradição foi se modificando, sobretudo após a Reforma Protestante. A festa foi mudando para uma celebração infantil com direito a fantasias, doces e brincadeiras. Também as igrejas protestantes perseguiam quem comemorava este dia.

A origem de “Gostosuras ou travessuras?”  (“Trick or Treat?”)

Segundo relatos, há duas hipóteses para a origem da famosa frase usada até os dia de hoje nos dias de Halloween, “Gostosuras ou travessuras?”.

Uma delas é que, na Irlanda, um dos hábitos mais característicos envolvia crianças, que passavam de casa em casa cantando rimas ou dizendo orações para as almas dos mortos. Em troca, recebiam bolos de boa sorte que representavam o espírito de uma pessoa que havia sido libertada do purgatório. Isso deu origem ao costume de pedir doces dizendo: “Trick or Treat?”.

A outra também vem da Irlanda. Segundo a lenda, um homem conduzia uma procissão para arrecadar oferendas de agricultores, dizendo-lhes que o propósito era que suas colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios. Na verdade, uma chantagem para conseguir alimentos; dando origem à famosa frase.

De onde veio a tão famosa frase, acho que não faz diferença, não é mesmo? As crianças estão mais interessadas em ganhar as suas guloseimas e se divertirem!

Halloween nos Estados Unidos

Os irlandeses levaram o Halloween para os Estados Unidos no século XIX, mais precisamente em 1845, durante o período conhecido na Irlanda como a “Grande fome”. Um  milhão de pessoas migraram para o país, levando com elas suas histórias e tradições. A celebração tornou-se, então, uma das principais festividades da cultura norte-americana.

A princípio, as tradições uniam brincadeiras comuns no Reino Unido rural com rituais de colheita americanos. O milho, por exemplo, muito importante na agricultura americana, entrou com tudo na simbologia característica da celebração. Tanto que espantalhos eram muito usados nas decorações do Dia das Bruxas. Também foi na América que a abóbora passou a ser sinônimo da festividade. No Reino Unido, o legume mais esculpido era o turnip, um tipo de nabo.

hallowen

Curiosidades do Halloween nos Estados Unidos

Foi nos Estados Unidos que surgiu a tradição moderna de “doces ou travessuras”. Há indícios disso em brincadeiras medievais que usavam repolhos, mas pregar peças tornou-se um hábito entre os americanos nesta época do ano a partir dos anos 1920.

A tradição mais popular da festa, de usar fantasias e pregar sustos, veio após a transmissão pelo rádio de Guerra dos Mundos, do escritor inglês H. G. Wells, que gerou uma grande confusão quando foi ao ar, em 30 de outubro de 1938. 

Ao terminá-la, o ator e diretor americano Orson Welles, deixando de lado seu personagem, diz para os ouvintes que tudo não passava de uma pegadinha de Halloween e comparou o seu papel ao ato de vestir-se com um lençol para imitar um fantasma e dar sustos nas pessoas. 

Halloween moderno

Hoje, o Halloween é o maior feriado não cristão dos Estados Unidos. A data é considerada feriado nacional e a maioria das pessoas entram totalmente no clima, se caracterizando com fantasias, decorando casas e jardins, além da tradição de crianças pedirem doces pela vizinhança. Se não ganharem, elas têm a permissão para fazer uma “pegadinha” na casa da pessoa, como se fosse um “pequeno diabinho”. Jogar papel higiênico nas árvores do vizinho costuma ser a “travessura” mais comum.

Atualmente a celebração tem diferentes finalidades, como celebrar os mortos ou a época de colheita, e marca o fim do verão e início do outono no hemisfério norte. Também vem ganhando novas formas e permitindo que adultos brinquem com seus medos e fantasias de uma maneira socialmente aceitável.

Curiosidade

No ano de 1964, uma moradora de Nova York, Helen Pfeil, deu para as crianças que ela julgava serem velhas demais para brincar de “gostosuras ou travessuras”, palha de aço, biscoito para cachorro e inseticida contra formigas. Rapidamente se espalharam lendas urbanas de maçãs recheadas com lâminas de barbear e doces embebidos em arsênico ou drogas alucinógenas. 

Talvez o grande motivo do Halloween ter uma imensa popularidade nos Estados Unidos seja o fato de ele permitir subverter normas sociais como evitar contatos com estranhos ou explorar o lado negro do comportamento humano. Unir religião, natureza, morte e romance. 

Principais símbolos e tradições do Halloween

A maioria dos símbolos que caracterizam o Halloween vêm dos primórdios da tradição, iniciada pelos celtas; enquanto outros foram agregados com o tempo. Confira os principais símbolos e tradições desta celebração:

Cores laranja e preto

O Halloween é ligado principalmente às cores laranja e preto devido ao festival do Samhain. Ele acontecia no início do outono, quando as folhas ficam laranjas e os dias são mais escuros.

Lanterna de abóbora 

A famosa abóbora iluminada por dentro (do inglês Jack o’lantern – Jack lanterna) tem origem em um conto celta a respeito de um rapaz que foi proibido de entrar no céu e no inferno. Assim, ele passou a vagar eternamente com sua vela ou lanterna, feita de nabo, em busca de descanso, da paz eterna. 

Os celtas entalhavam nabos e inseriam velas no seu interior com o intuito de afastar os maus espíritos. Com o passar dos anos, os norte-americanos foram substituindo-os por abóboras com caretas esculpidas. O costume, que antes se limitava a entalhar rostos, atualmente envolve diversos formatos. 

Fantasias e máscaras

No dia do Samhain, os celtas usavam máscaras e fantasias, pois acreditavam que, dessa forma, os espíritos não os reconheceriam como humanos, e continuariam a vagar pelo mundo sem incomodar.

Atualmente, o Halloween é fortemente marcado por festas à fantasia que geralmente seguem a temática sombria de bruxas, zumbis, esqueletos, etc. No entanto, em países onde a tradição não é tão seguida (a exemplo do Brasil), as festas costumam envolver qualquer tipo de fantasia.

Esqueletos e fantasmas

Para os celtas, os mortos assumiam, entre outras formas, a de esqueletos e fantasmas.

Morcegos

Os festivais de Samhain utilizavam grandes fogueiras, o que acabava atraindo muitos morcegos, por isso o morcego também faz parte da simbologia. 

Bruxa e seus artefatos

Por influência da Igreja Católica, a figura da bruxa e seus artefatos, como vassoura e gato preto, também fazem parte do contexto e da tradição do Halloween.

Gostosuras ou travessuras

Do inglês trick or treat, teve origem na Grã-Bretanha, mas foi popularizado nos Estados Unidos nos anos 50. Consiste nas crianças saírem fantasiadas, batendo de porta em porta perguntando “gostosuras ou travessuras?”. Caso a pessoa não dê algum brinde como doces ou dinheiro, as crianças fazem alguma travessura na sua casa.

E aqui no Brasil?

No Brasil, a festa não possui o mesmo significado e valor cultural dos países do hemisfério norte. Aqui, a comemoração da data é recente, trazida, principalmente, pela TV, em filmes e séries. Grande parte da tradição de Halloween no Brasil é influenciada por cursos de idioma que promovem a data como forma de inserir os alunos na cultura dos países de língua inglesa.

O comércio aproveita a data para fazer decoração com a temática de monstros, vampiros, bruxas, etc., festas a fantasia. E acaba que todos entram um pouco na data.

No entanto, há uma forte resistência em algumas regiões do Brasil sobre a comemoração da data. Alguns argumentam que o país é muito rico em cultura popular para celebrar uma cultura estrangeira e ignorar a própria história e identidade. Devido à polêmica, foi criado o “Dia do Saci”, a partir do decreto de lei nº 2.762/2003, também comemorado no dia 31 de outubro. É uma “resistência pacífica” à cultura americanizada do Dia das Bruxas, uma forma de valorizar as lendas brasileiras.

Conclusão

E aí, gostou de conhecer tudo sobre o feriado do Halloween? Como você pode perceber, há muitas curiosidades a respeito da celebração do Dia das Bruxas. 

Lendas, mitos ou verdades, não importa. O fato é que a soma de várias tradições resultou no que hoje é uma das maiores comemorações anglo-saxônicas, que alegra os lares e as vidas de muitas pessoas espalhadas pelo mundo. 

 

banner-site_blog_-_2_artess