Também conhecido como Dia das Bruxas, o Halloween, celebração popular de culto aos mortos comemorada no dia 31 de outubro, é uma das festas mais aguardadas pelas crianças. Afinal, é nesse dia que elas podem sair fantasiadas para ganhar doces e se divertir com as festas criativas e repleta de elementos assustadores. Mesmo sendo considerado parte de uma cultura tipicamente americana e irlandesa, a comemoração se espalhou pelo mundo. No post de hoje você vai conhecer tudo sobre o Halloween. Vamos falar sobre o seu surgimento, curiosidades e como é celebrado nos países de língua inglesa. Ficou curioso? Então continue a leitura!

 

Halloween: cultura celta-irlandesa-norte-americana

Como já mencionado, o Halloween se espalhou por todo o mundo, mesmo sendo considerado parte de uma cultura tipicamente americana e irlandesa. É muito forte em países de língua anglo-saxônica (países da América do Norte, que tem o inglês como principal idioma), sobretudo nos Estados Unidos. Assim, adaptou-se através do sincretismo das superstições e lendas de cada região, com o conceito moderno norte-americano do Halloween.

 

Dia das Bruxas, horror lucrativo

No Brasil, o Dia das Bruxas vem ganhando espaço aos poucos. Hábitos como o de ir de porta em porta atrás de doces, enfeitar as casas com adereços “assustadores” e participar de festas à fantasia vêm se tornando mais comuns.

Na Alemanha, por exemplo, a celebração ganhou espaço na década de 90, tornando-se a 3ª maior comemoração, perdendo apenas para o Natal e a Páscoa.

Mas nos EUA o culto aos fantasmas e à abóbora tornou-se um grande negócio, é o segundo feriado mais comercial do ano, perdendo apenas para o Natal. Estima-se que os americanos gastam uma média de 8 bilhões de dólares com decorações, fantasias e doces de Halloween. 

 

Você conhece a origem do Halloween?

A origem do Halloween remonta há mais de 2 mil anos, na Irlanda e nas Ilhas Britânicas. Na noite de 31 de outubro, os celtas, um povo que viveu na região em que hoje ficam a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda, comemoravam uma de suas maiores festas, o Samhain (pronuncia-se “so-in”), que significa “Fim do Verão”, e durava 3 dias. Era o final de um ano e começo de outro, o fim da “temporada do sol” e o começo do frio, quando chegava o inverno e a terra congelava. 

 

“All-Hallows-Eve”

Os celtas acreditavam que o mundo dos vivos se encontrava com o dos mortos no dia 31 de outubro, que o véu entre os dois mundos era mais tênue durante a noite desse dia e, por isso, os mortos voltavam nessa noite para escolher o corpo que possuiriam no ano seguinte. Sacerdotes celtas tentavam expulsar os demônios com uma grande fogueira. Para se proteger contra poderes malignos, os celtas usavam máscaras amedrontadoras.

Para escapar dos espíritos, vestiam as roupas mais feias que tinham em casa, apagavam suas fogueiras e saíam pelas ruas da vizinhança para assustá-los.

No século VIII, o papa Gregório IV transferiu para o 1° de novembro o Dia de Todos os Santos, destinado a homenagear os mortos, a fim de cristianizar a festa celta de Samhain. Apesar disso, o “All-Hallows-Eve” – ou “véspera do Dia de Todos os Santos” – continuou sendo celebrado durante séculos na Irlanda católica. Durante a Idade Média, a igreja católica passou a condenar o festival, mas grande parte da população se recusou a abandonar a tradição. Consequentemente, a data passou a ser conhecida como o “dia das bruxas”. Com a colonização da América, a tradição do Halloween ganhou ainda mais força.

 

Halloween hoje

O Halloween que conhecemos hoje tomou forma por volta de 1500 e 1800. Como o festival também era uma forma de celebrar a comida, era fundamental tê-la em abundância. Um dos hábitos mais tradicionais que envolviam crianças era o fato de irem de casa em casa cantando rimas ou dizendo orações para as almas dos mortos em troca de bolos de boa sorte.

Apesar de sua origem, a celebração não é realizada como um ritual. Para os celebrantes, é apenas um dia para se divertir com as fantasias, doces e decorações criativas. Até mesmo uma forma de explorar seus medos. Muitas religiões aproveitam esse dia para realizar festivais e rituais. Porém, não é motivo para impedir que as crianças se divirtam em festas temáticas. A história do Halloween não interfere na comemoração atual.

 

Você conhece os símbolos do Halloween?

Ao longo do tempo, a celebração do Halloween foi se transformando, passando a colecionar símbolos que não ficam de fora das comemorações. Separamos os principais: 

 

Abóboras e velas

As abóboras simbolizam fertilidade e sabedoria, enquanto as velas servem para iluminar o caminho dos espíritos.

 

Abóbora

De cara vem a imagem daquelas abóboras desenhadas, iluminadas por lanternas, não é mesmo? Pois saiba que há uma razão para isso. 

Ela remete à lenda irlandesa do ferreiro Jack O’Lantern (Jack da Lanterna). Resumidamente, Jack era um homem mesquinho que conseguiu enganar o diabo duas vezes para não ir para o inferno. Quando morreu, foi proibido de entrar no céu e, como não poderia ir para o inferno, foi condenado a vaguear pela escuridão eterna com uma lanterna feita de brasa de carvão dentro de um nabo entalhado.

Na Europa, os países de origem celta entalhavam nabos durante o Halloween para afastar o fantasma de Jack e outros espíritos da casa. Foi na América que a abóbora passou a ser entalhada e se tornou um símbolo de destaque da celebração. E o motivo é bem simples: além de ser maior e consequentemente mais apropriada, outubro é a melhor época para colher abóboras.

 

Fantasias

Como já mencionado acima, as fantasias começaram a ser usadas com o objetivo de afastar os espíritos que aproveitavam o dia 31 de outubro para vaguear pela terra. 

Hoje há fantasia para todas as idades e tamanhos, mas para um fim completamente diferente: diversão! Muitas festas de Halloween, inclusive, fazem competições para escolher a melhor fantasia entre os convidados. 

 

Bruxas

São as principais simbologias dessa festa. Reza a lenda que participavam de festas realizadas pelo diabo, normalmente em 30 de abril e 31 de outubro. Tal crença chegou aos Estados Unidos por seus colonizadores e a partir daí se espalhou por todo o mundo, tomando vários formatos diferentes. Elas voavam em suas vassouras e enfeitiçavam qualquer um pelas ruas.

Assim sendo, é bem comum que a decoração de Halloween seja composta de representações de bruxas ou apenas seus famosos chapéus.

 

Gato preto

É um símbolo ligado às bruxas. Dizia-se que elas se transformavam em gato preto para atacar suas vítimas.

Outras superstições acerca dos gatos são que esses são fontes de azar e que também são espíritos de pessoas mortas.

 

Vassoura 

Símbolo do poder feminino em limpar tudo aquilo que traz consequências negativas para a vida, como pensamentos negativos.

 

Morcego 

Simboliza a visão que ultrapassa as aparências e consegue ver o íntimo das pessoas.

 

Cores: Laranja, preto e roxo

As cores mais usadas na festa de Halloween também possuem significados que fazem a diferença:

  • laranja  – cor que traz vitalidade, energia e força.

Acreditavam que os espíritos se aproximavam dos que estavam de laranja para sugar suas energias;

  • preto – cor predominante dos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes do mestre das trevas;
  • Roxo –  simboliza a magia presente em toda a comemoração de Halloween.

 

Trick or treat? – Gostosuras ou travessuras?

Você sabe como surgiu a famosa frase “Gostosuras ou travessuras?”. Durante o séc. IX, acreditava-se que os mortos ficavam em uma espécie de limbo e só iam para o céu mediante orações. No dia 2 de novembro acontecia o “souling”, em que os cristãos andavam de vila em vila com o objetivo de ganharem o “bolo das almas”, tortas preparadas com pedaços quadrados de pão e groselha em troca da promessa de orações pelos parentes falecidos de quem lhe ofereceu. Além disso, os celtas acreditavam que poderiam apaziguar os espíritos malignos ao deixar comida para eles. Essa tradição foi trazida para o Halloween, porém, de uma maneira bem diferente, com o objetivo das crianças se divertirem. 

A ideia é receber doces, como balas e chocolates, em troca de deixar a casa em paz, livre das travessuras infantis.

 

Conclusão

E aí, gostou de aprender um pouco sobre o Halloween? Como você pode perceber, há muitas curiosidades a respeito do Dia das Bruxas. 

A celebração do Halloween remete a uma série de antigos valores da cultura bárbaro-cristã que se forma na Europa Medieval. Hoje ela tem diferentes finalidades, seja para celebrar os mortos ou a época da colheita, marcar o fim do verão e o início do outono no hemisfério norte. Simultaneamente vem ganhando novas formas e oferecendo a chance de adultos também brincarem com suas fantasias e medos. O Halloween une morte, religião, natureza. Será essa a razão para tamanha popularidade? 

See you!

podcast