A gestão dos custos de sua empresa é algo que deve ser controlado com muita atenção e cuidado. Conhecer de onde surgem os valores necessários para a condução do negócio e dominá-los para obter uma boa margem de lucro deve ser um dos seus objetivos primários como empresário, e o primeiro passo para isso é diferenciar o que são os custos fixos e os custos variáveis. Quer saber qual deles oferece mais risco para sua empresa? Leia o texto a seguir e descubra!

O que são custos fixos?

Os custos fixos são aqueles que estarão presentes em sua empresa sempre, mesmo que não esteja havendo nenhuma produção, venda ou prestação de serviço no período. É importante ressaltar que o conceito não se limita aos custos cujo valor não variam. Uma conta de energia, por exemplo, que todo mês assume um valor diferente, a depender do seu consumo, se não estiver ligada diretamente à atividade principal do negócio, é considerada custo fixo.

Outros exemplos de custos fixos são:

  • O aluguel do imóvel de sua empresa;

  • Os serviços de telefonia e internet,;

  • Os serviços de vigilância e de limpeza;

  • A manutenção de máquinas e de equipamentos.

O que são custos variáveis?

Os custos variáveis são aqueles que estão diretamente ligados à produção, venda ou prestação de serviço do negócio. É todo valor incorrido para que seja exercido o que sua empresa se propôs a fazer no mercado. Se você possui uma pizzaria, por exemplo, seus custos variáveis serão os ingredientes das pizzas. Ou, se você faz parte de uma franquia de escolas de inglês, o tempo do professor em sala de aula é custo variável para a efetiva prestação do serviço.

Esses custos merecem uma atenção especial por conta do fator da sazonalidade, ou seja, o grau de variabilidade pode ser alto dependendo do nível de demanda do seu público-alvo no período.

Qual custo é mais perigoso?

Agora que você entende os conceitos desses 2 tipos de custos, vamos identificar qual deles é a maior ameaça para a saúde de sua empresa.

Reflita se o preço que você cobra pelo seu produto ou serviço realmente é adequado. Ele cobre seus custos variáveis? Possui uma boa margem de lucro? É atrativo para o cliente? Supera a oferta da concorrência? Se sua resposta foi afirmativa para essas perguntas, ótimo! Os custos variáveis estão dominados e não representam perigo ao seu negócio.

Cuidado com os custos fixos! Estes, sim, são uma faca de 2 gumes. São custos necessários para que sua empresa respire, mas, se forem contraídos em excesso, você vai se sufocar. O cenário mais ideal é aquele em que haja menos dependência de custos fixos. O foco da sua gestão de custos deve seguir esse rumo.

Não deixe esse assunto de lado. Os custos são inevitáveis para se chegar ao lucro e precisam ser dominados para que sua empresa não seja engolida por seus próprios recursos. Faça um planejamento orçamentário e identifique para onde seu dinheiro está indo.

Se precisar de mais informações úteis como o texto que você acabou de ler, que tal curtir nossa página no Facebook?