Seja você um professor, um coordenador de escola, ou alguém que tem espírito arrojado e vontade de levar inovação para o ensino brasileiro, saiba que a área de educação é um prato cheio para quem quer construir e se interessa por empreendedorismo.

O uso da tecnologia está modificando as estratégias de ensino, trazendo novidades para as salas de aula. Por isso, aumenta a busca por profissionais qualificados, com vasta experiência e formação adequada.

Se você sente-se qualificado para investir nesse mercado, conheça algumas dicas de métodos a serem desenvolvidos em seu negócio. Além disso, continue a leitura a té o fim para conhecer as tendências em educação para 2018!

Gamificação e plataformas inovadoras

Inserir jogos na educação é uma forma de vincular gadgets com os quais os alunos já têm intimidade, como o celular e o tablet, às disciplinas dadas em sala de aula.

Mas, muito mais do que fazer com que eles utilizem ferramentas durante as aulas, a gamificação e o uso de plataformas inovadoras é uma forma de criar objetivos que os alunos precisam atingir por meio de estratégias pedagógicas elaboradas pelo professor.

Por exemplo, é possível criar métodos utilizando a lógica dos games para fazer com que os alunos resolvam determinados problemas em grupo e criar competição entre eles com a possibilidade de conquistar prêmios (além do próprio conhecimento) ao final de um período.

Ensino a distância

Todo mundo fala de educação a distância, não é mesmo? E não é por acaso, sobretudo para o ensino superior, pois ela cresceu mais de 20% de 2013 para 2014, de acordo com o Censo da Educação Superior de 2014.

É uma demanda para se observar e na qual se pode apostar, pois, atualmente, muitos profissionais têm buscado o EAD como uma forma de atualizar seus conhecimentos e de buscar nova colocação no mercado, aprimorar o currículo, conhecer novas habilidades etc.

Empreendedorismo na sala de aula

Muitas escolas têm investido em matérias que apresentem o mundo do empreendedorismo aos alunos. É uma maneira de torná-los mais autônomos e de ajudar na formação de futuros empresários.

Porém, todas os professores podem utilizar princípios do empreendedorismo em seu plano de aulas. Basta fazer com que cada aluno se veja como responsável pelo seu próprio conhecimento e criar estratégias para que eles pesquisem, leiam e consigam chegar a conclusões próprias sobre assuntos diversos.

Movimento maker

Nem só de teoria vive o aluno. É preciso fazer com que ele conheça a prática junto à teoria, de modo que tenha mais clareza sobre o processo de ensino e aprendizagem.

Você já deve ter percebido o quanto a gente tem buscado aprender coisas a partir da internet, por meio de cursos online, mas também de vídeos tutorias e de blogs especializados. Os alunos já estão acostumados a buscarem respostas na internet, portanto, o professor pode colocá-los para desenvolver projetos diversos, fazendo com que eles coloquem a mão na massa.

Investimento em franquias

Uma das tendências mais fortes do mercado de educação são as franquias, sobretudo as de idiomas. Já que o mercado exige cada vez mais que os profissionais conheçam uma segunda e até uma terceira língua, esse nicho está sempre aquecido e buscando por gente inovadora e com espírito empreendedor.

A vantagem das franquias é que elas já estão no mercado, isto é, já têm know-how, já têm um nome e toda uma estrutura montada para o empreendedor começar a operação.

Viu só? A área de educação é um prato cheio para quem se interessa por empreendedorismo. Gostou das ideias? Compartilhe este post e divida-as com seus colegas nas redes sociais.