Muitas pessoas, por medo de abrir um negócio e perder dinheiro, acabam  desperdiçando uma grande oportunidade de criar um trabalho com um propósito. Perdem a chance de poder transformar suas vidas e de suas famílias e de ajudar outras pessoas com o seu trabalho. Neste artigo vamos contar a história de empreendedores que começaram do zero e construíram verdadeiros impérios. Você vai ver que, mesmo sem um grande capital inicial, é possível, sim, ter sucesso. Se você é uma pessoa que deseja empreender, leia este post até o final e veja o que você pode aprender com esses 6 empreendedores de sucesso. Confira!

A arte de empreender

A atitude empreendedora vai muito além da abertura de um negócio. O importante é oferecer algo inovador e com valor para a sociedade. É necessário ter iniciativa, comprometimento, experiência, vontade e dedicação. Qualidades típicas de pessoas com espírito empreendedor, determinadas a vencer e alavancarem seus empreendimentos. Também é importante buscar o conhecimento necessário a respeito da área em que se pretende investir, com o objetivo de ter uma posição de destaque no mercado.

O que você pode aprender com esses 6 empreendedores de sucesso

Tornar-se um grande empreendedor leva tempo, não é de um dia para o outro. Para quem pretende começar ou quem já tem o próprio negócio, separamos 6 casos inspiradores de empreendedores que mudaram não apenas suas vidas, mas a de milhares de pessoas. São eles:

1) Silvio Santos

Estamos falando de um dos grandes ícones do empreendedorismo brasileiro. Aos 14 anos vendia capinhas para título de eleitor pelas ruas do Rio de Janeiro. Atuando como camelô já demonstrava seus dons como animador para atrair clientes.

Alguns anos depois, com 20 anos e já firmado como um profissional de rádio, foi para São Paulo. Um amigo o convidou para ajudar na administração do “Baú da felicidade”, sistema de carnês em que o cliente pagava o ano todo e recebia uma caixa de brinquedos na época do Natal. Ele teve a ideia de aumentar o leque de produtos.  

A partir daí começou a construir um verdadeiro império com diversos empreendimentos em diferentes setores. Que deram origem a muitas empresas que hoje fazem parte do grupo Silvio Santos.

Foi ele que viu a oportunidade de criar seu próprio canal de TV, na década de 70. Em 1981, com a  concessão de quatro canais, montou o SBT. Daí para frente conhecemos a história.

Ele começou do zero, sem investir pesado, sem fazer um plano de negócios. Ele sabia da sua competência, no que ele era bom.  Foi seguindo seus instintos, até criar todo esse império que ele tem hoje.

2) Maurício de Souza

Fundador da turma da Mônica. Nasceu e cresceu em uma fazenda. Pelo fato dos pais já serem artistas, teve contato com a arte desde muito cedo, mas se desenvolveu no desenho. Ele sabia que queria trabalhar nesse segmento, mas não foi logo de cara que conseguiu.

Se formou em jornalismo, foi trabalhar como jornalista policial na Folha da Manhã, em São Paulo. Mas em vez de tirar fotos para as suas matérias, ele ilustrava os casos que escrevia para o jornal. Aos poucos as pessoas foram reconhecendo esse talento, até que cederam espaço para ele e publicaram uma primeira tirinha do Bidu – primeiro personagem criado da turma da Mônica. Depois vieram os outros personagens. A partir daí começou a produzir mais tiras para outros jornais, e assim foi por diversos anos. Até que conseguiu criar a própria revista da Mônica.

Seu empreendimento surgiu com os dons, habilidades e com o que ele tinha na época. Montou o seu negócio do absoluto zero.

3) Eloi D’Avila de Oliveira

De repente você pode não conhecer esse nome, mas é um grande exemplo de empreendedorismo.  Ele fundou a Flytour, uma emissora de bilhetes aéreos para agências de turismo que hoje fatura uma média de 4 bilhões por ano. Mas essa empresa gigantesca não começou do nada.

Foi o 14° de um total de 15 filhos, gago, menino de rua, não foi a escola e, acredite, começou a empreender com apenas oito anos (até os 12 anos fez pequenos trabalhos e bicos).

Nasceu no Rio Grande do Sul, em uma família muito simples. Foi flanelinha, vendia jornal; desde cedo foi se virando e aprendendo a sobreviver na rua. Até que ele partiu para o Rio de Janeiro e começou a trabalhar em uma agência de turismo famosa, a Stella Barros. Trabalhou por cinco anos e foi para São Paulo. Arrumou três empregos para sustentar a esposa e o filho.

Logo depois foi trabalhar para uma companhia aérea do Paraguai,

mas foi demitido. Ele então resolveu retornar a companhia, pedindo para ser um representante da empresa no Brasil. Paralelo a isso, contatou uma rede de hotéis estrangeira, a Panamericana, para representá-los aqui no país. Em sua casa, montou uma pequena agência de turismo e foi, aos poucos, vendendo passagens aéreas. Fazia pacotes atrelados a essa cadeia de hotéis. Foi crescendo, agregando outras companhias ao portfólio. Até que anos depois surgiu a Flytour, que hoje é uma das maiores empresas emissoras de bilhetes aéreos do Brasil e talvez de muitos países da América do Sul.

Eloi Oliveira colocou toda a experiência adquirida na vida para erguer um verdadeiro império do ramo turístico. Para isso contou com muita determinação em sua trajetória.

4) Geraldo Rufino

Também começou com uma infância muito difícil, catando lixo. E no lixão descobriu que ele podia revender latinhas para o seu sustento. O aterro sanitário em que ele trabalhava foi desativado. Então, foi fazer uniformes para um time de futebol local; conseguiu uns parceiros, mas o negócio também acabou. Até que ele começou a revender peças de desmanche de caminhões. Pouco a pouco, criou a JR Diesel, que é uma das maiores empresas de autopeças de caminhões, a partir de desmanches legais.

Um homem que quebrou algumas vezes, que também veio do nada. Ele foi galgando os degraus até chegar na posição em que está hoje e alcançar uma vida absolutamente plena.

5) Zica Assis

Heloísa Helena de Assis, mais conhecida como Zica Assis, é a fundadora da maior rede especializada em cabelos crespos e ondulados do Brasil, o Instituto Beleza Natural.

Ex-babá, empregada doméstica e faxineira, Zica acreditou nos seus sonhos e buscou meios para realizá-los.

Sua insatisfação constante com seus cabelos crespos e amarrados, fez com que ela fizesse um curso de cabeleireiro. Após dez anos, através da mistura de alguns produtos, encontrou uma fórmula relaxante, capaz de domar os fios sem a necessidade de alisá-los. E pensou em expor esse produto para mudar a vida de várias outras mulheres. Na década de 90, ela abriu um novo nicho de mercado que até então não era muito explorado. A partir daí começou o seu sucesso e ela não parou mais.

São mais de 10 salões espalhados pelo Rio de Janeiro, Vitória e Salvador. E continua crescendo por todo o país.

Uma empreendedora de sucesso, que descobriu uma forma de buscar superação e autoestima na própria vida e na dos seus clientes.

6) Alberto Saraiva

Teve que trancar a faculdade de medicina para assumir a velha padaria da família após seu pai ser assassinado em um assalto dentro do próprio estabelecimento.

Com o fracasso das vendas, enxergou uma solução que viria a se tornar a sua marca como empreendedor: oferecer produtos com o preço muito abaixo da concorrência. A padaria, depois de 16 meses de sucesso, é vendida. Ele resolve investir em outros empreendimentos, como uma pizzaria, por exemplo, e fazer o mesmo. Até que um homem o procura pedindo emprego, oferecendo seu talento culinário com comida árabe.

Com visão empreendedora, Alberto Saraiva viu ali uma oportunidade de negócio, e hoje comanda uma rede de mais de 400 lojas do Habib’s em todo o país. Para manter o sucesso de preços baixos, ele verticalizou o negócio e comanda mais de 10 empresas fornecedoras do Habib’s.

O que esses empreendedores têm em comum?

Essas histórias que acabamos de ver são fantásticas porque ilustram pessoas simples que não nasceram empreendedoras. Elas também foram funcionárias de outras empresas, de outras pessoas. Trabalharam, se viraram do jeito que puderam. Mas elas apostaram em si mesmas. Foram fazendo o que sabiam fazer. Surgiram do absoluto zero, destacando-se com conhecimentos próprios, sem grandes ferramentas e estratégias mirabolantes. Foram colocando os tijolos do empreendedorismo, um a um, até chegarem a construção do  império que conhecemos hoje. Cada um tomou uma atitude diferente, mas que os levou a um mesmo ponto de chegada: o sucesso.

Dicas para quem quer ser independente e empreender

Essas dicas podem inspirar pessoas que são ou querem se tornar empreendedoras. E não somente a inspiração, mas fazer que elas tomem ações diferentes, que elas comecem a agir de forma diferente.

1) Nunca desistir

Nunca desista. Se você tem convicção de que aquela sua ideia é a ideia certa, não desista. Siga com perseverança e com determinação.

2) Tenha ambição de fazer algo grande

As coisas não são por acaso. Se você quer ser muito bom, se quer fazer realmente alguma coisa importante na vida, você tem que escolher, tem que decidir: eu vou fazer alguma coisa.

Tenha uma ambição controlada, equilibrada, de fazer alguma coisa importante na sua vida.

3) Seja humilde

Humildade é fundamental para ser um grande empreendedor. É saber ouvir, saber dialogar, ter certeza de que você não sabe tudo, que sempre pode aprender muito mais. Quem não é humilde não aprende, não tem bom relacionamento.

4) Seja disciplinado

Disciplina é tentar se organizar minimamente. Mostrar para as pessoas o que elas ganham usando a disciplina como ferramenta. Mostrar as vantagens de ser disciplinado. É ter agenda, não criar ilusões para não ter desilusões. É você não imaginar que coloca doze em uma caixa de seis. É olhar o dia de amanhã, semana que vem, mês que vem, e até ano que vem, e dizer: como, de que forma vou fazer?

5) Seja melhor a cada dia

“Eu quero ser hoje melhor do que eu fui ontem, e amanhã vou querer ser melhor do que eu sou hoje”. Isso envolve crescimento. Primeiro pessoal, mas envolve também um crescimento naquilo que você está fazendo. Nós temos que saber amar aquilo que temos, e não aquilo que desejamos. Temos que pensar grande, ter metas aspiracionais grandes, mas nós temos que ser capazes de estar satisfeitos, de amar aquilo que temos hoje.

6) Tenha um diferencial

Empreender é conseguir fazer alguma coisa que realmente traga alguma contribuição. Você cria uma empresa. Quais serão os seus diferenciais? Vai ser igual a todas as outras ou terá um diferencial?

7) Acredite em você

Se você não acreditar em você mesmo, os outros não vão. Se você receber um carro da vida, dirija-o, não sente no lugar do carona. Acreditar, sempre, que posso e que vou conseguir.

Conclusão

Esses foram apenas 6 dos milhares de empreendedores de sucesso espalhados pelo mundo. Espero que você tenha gostado e que as histórias da vida de cada um deles possam inspirar a sua trajetória.

Se você começar pequeno, de uma forma segura, prática, com o que você tem hoje; sabendo administrar o seu negócio, recursos e seus conhecimentos. Se souber dar um passo por dia, você conseguirá sim, se transformar em um empreendedor de muito sucesso.

banner-site_blog_-_2_artes