Atualmente, tornou-se indispensável buscar o aprendizado de outras línguas para se desenvolver nos estudos e no trabalho, sendo o inglês a língua mais solicitada para atividades profissionais.

Se você já conhece o idioma, mas ainda tem dificuldades para se comunicar na língua, escrevê-la, entender sotaques ou qualquer outro aspecto, saiba que existe um padrão de aprendizagem que pode definir os níveis de inglês e, assim, te ajudar a entender em que é preciso melhorar.

Quer conhecer esse padrão? Então continue lendo nossa postagem!

Entenda o CEFR

O Common European Framework of Reference for Languages (CEFR), ou Quadro Europeu Comum de Referências para Línguas, trata-se de um padrão reconhecido internacionalmente por diversas certificações para retratar o rendimento de um indivíduo em certo idioma.

Ele classifica o entendimento do estudante acerca de uma língua estrangeira, dividindo o conhecimento em seis níveis, sendo três categorias, cada qual com duas subdivisões.

Classificação dos níveis de inglês 

O CERF vai do iniciante até o dominante, mostrando as características de cada nível. São eles: Basic User, Independent User e Proficient User. Com esse método, é possível compreender em qual estágio você se encontra e qual seria o ideal para cumprir seus objetivos no mercado e na sua vida particular.

Agora, é importante entender as diferentes etapas do CERF.

Basic User (Básico)

Esse nível é dividido nas categorias Iniciante e Básico. O iniciante condiz com a pessoa que tem a capacidade de entender e usar alguns termos em inglês, além de formular enunciados fáceis — como fazer e responder perguntas simples e dar informações básicas, em situações de conversas bastante descomplicadas.

O básico vai além disso, atestando a capacidade de entender conversações cotidianas e trocas de informações. O estudante que se enquadra nesse nível é capaz de descrever algumas coisas a seu próprio respeito, além de conseguir transmitir informações sobre localidade e tarefas.

Independent User (Independente)

A categoria é dividida entre Intermediário e Usuário Independente. O Intermediário compreende questões formuladas com clareza de linguagem e sobre assuntos familiares. Caso se encontre em um local onde ninguém fala sua língua materna, teria êxito em se orientar, além de conseguir se comunicar de forma eficaz.

Já o usuário independente consegue ler alguns textos mais complexos. Tem facilidade com conversações, tanto com nativos na língua quanto com estrangeiros, como ele, e um repertório de temas variado.

Proficient User (Proficiente)

Aqui entra a subdivisão de Proficiência Operativa Eficaz e o Domínio Pleno. No nível da proficiência, o indivíduo consegue entender mais tipos de textos que o usuário independente, é capaz de transmitir sua fala fluentemente, raramente precisando fazer alguma consulta. Pode discorrer sobre temas complexos, como questões profissionais e sociais, de maneira clara e bem organizada.

Já o estudante no domínio pleno tem total compreensão da língua com pouco ou nenhum esforço, tanto na leitura quanto na conversação. Expressa-se de maneira fluente, organizada e coesa, dominando até mesmo conceitos específicos. Esse nível é o mais alto, e onde se encontra as pessoas que mais conhecem um idioma estrangeiro.

Agora que você conhece os níveis de inglês utilizados pelo padrão CEFR, pode começar a se planejar para avançar de nível e adquirir um bom domínio da língua, de modo a alcançar suas metas pessoais e profissionais. Com o padrão CEFR, você poderá avaliar o seu rendimento de forma eficaz e saber onde precisa melhorar para atingir os níveis de inglês mais altos.

Gostou o artigo? Então comente no post e conte-nos como está o seu nível de inglês!