Aprimorar as habilidades de fala é uma das principais dificuldades de estudantes de inglês, afinal, a conversação dificilmente é praticada fora da sala de aula, e a falta de exercício deixa o aluno inseguro para se arriscar na pronúncia. Então, como ensinar inglês com foco na conversação e solucionar esse problema? É o que você vai descobrir a seguir:

Faça da sala de aula um ambiente confortável

Antes mesmo de iniciar o ensino propriamente dito, nossa primeira dica para ensinar inglês por meio da conversação é fazer da sala de aula um ambiente confortável e acolhedor. O professor deve se mostrar aberto e receptivo com os alunos, que precisam sentir que, ali, podem aprender sem vergonha dos erros.

Deixe o aluno à vontade para falar

O aluno precisa se sentir à vontade para falar, independentemente dos deslizes que vai cometer. Lembre-se de que frases mal construídas e erros de pronúncia são comuns, especialmente em quem não tem prática com a conversação.

Muitas vezes, o aluno pode escrever textos impecáveis em inglês, mas se enrolar para falar justamente, por não ter o hábito de fazer isso. É importante que ele não se sinta intimidado por ter um sotaque forte quando fala inglês. O que mais vale, aqui, é se fazer entender.

Não corrija todos os erros dos alunos

Enquanto o aluno fala, preste atenção para perceber quando ele estiver pedindo ajuda, por meio da sua entonação e linguagem corporal, em relação a algum vocábulo desconhecido ou à pronúncia de determinada palavra.

Nesses casos e, também, quando há um erro muito grande, é importante ensinar — mas não se preocupe em corrigir todos os erros do aluno. É importante considerar quais enganos são aceitáveis para cada nível de aprendizado do idioma e, assim, decidir o que deve ou não ser corrigido.

Se o aluno — principalmente, se ele for iniciante — sentir que cada sílaba que solta está sendo rigorosamente avaliada, ficará muito sem graça de falar inglês na frente do professor e dos colegas.

Incentive o aluno a se expressar sozinho

A conversação em inglês deve ser trabalhada como habilidade de comunicação, e não simplesmente em relação à pronúncia correta das palavras. Portanto, é essencial que as aulas não dependam apenas de o aluno repetir o que o professor disser ou ler as frases listadas no material didático.

Eles precisam criar suas próprias frases, diálogos e argumentos — para que sejam capazes de raciocinar em inglês e, assim, se comunicar cada vez com mais facilidade no idioma.

Para isso, uma ótima sugestão é pedir à classe para discutir determinado assunto ou dividir os alunos em duplas ou trios para que eles conversem entre si. Assim, eles criarão o hábito de opinar, discutir, responder e perguntar em inglês.

Equilibre a fala com as demais habilidades do inglês

Mesmo com o foco na conversação, você não deve se esquecer de trabalhar com seus alunos outras 3 habilidades no aprendizado de idiomas: ler, ouvir e escrever.

  • O listening vai ajudá-los a perceber melhor elementos como entonação e pronúncia — muito importantes para sua própria fala.

  • Já a leitura e a escrita são excelentes maneiras de construir e exercitar o vocabulário. Portanto, além de ajudar os alunos a se tornarem mais familiarizados com o inglês, essas 2 habilidades disponibilizarão ferramentas muito úteis para as conversas no idioma.

Além disso, as habilidades de ler e ouvir são as mais fáceis para os alunos integrarem a rotina: a música, por exemplo, faz parte da vida de todos nós; a leitura, por sua vez, pode ser praticada por meio de sites estrangeiros de notícias e até mesmo de livros em inglês.

E então, viu só como ensinar inglês com foco em conversação pode ser dinâmico? Tem outras dúvidas sobre o assunto? Deixe seu comentário!