Atualmente, a proficiência na língua inglesa já se tornou requisito indispensável em diversas profissões. Nesse sentido, essa exigência, igualmente, se aplica na área da medicina, visto que se intensifica a necessidade do uso do inglês para médicos em diversas situações do dia a dia.

Isso porque, além de a atuação médica envolver o contato direto com estrangeiros de todas as partes do mundo, a participação em eventos acadêmicos internacionais, como simpósios e palestras, depende de um bom nível de compreensão e do uso adequado de termos e jargões da área da saúde.

Quer entender melhor a importância do aprendizado da língua inglesa na vida profissional de médicos e estudantes de medicina? Então, continue a leitura deste post!

Publicação de estudos e artigos científicos em inglês

Constantemente, cientistas da área da saúde divulgam novos estudos, dados e pesquisas capazes de fornecer informações relevantes sobre tratamentos inovadores e procedimentos cirúrgicos mais eficazes.

Todavia, estima-se que grande parte desse acervo médico, atualmente, esteja disponibilizado tão somente em inglês. O PubMed, um dos portais de maior referência acadêmica nos Estados Unidos, por exemplo, armazena mais de 28 milhões de citações de artigos científicos — e esse número tende a aumentar cada vez mais.

Além disso, autores que se preocupam com a tradução de seus trabalhos e pesquisas para o inglês, inegavelmente, ampliam as possibilidades de divulgação e, em consequência, reconhecimento por profissionais de todo o mundo.

Excelentes oportunidades de trabalho

Atendimentos hospitalares e clínicos em regiões de maior índice turístico acabam demandando um nível de fluência superior por parte dos profissionais da saúde. Afinal, muitos pacientes são estrangeiros e precisam ser atendidos com a mesma eficiência e agilidade — o que confere aos médicos a possibilidade de realizar diagnósticos culturalmente mais ricos.

Para além desses casos, médicos que se preocupam em aprimorar seus vocabulários também abrem portas para oportunidades de trabalho menos tradicionais.

Isso ocorre bastante, por exemplo, em trabalhos voluntários administrados por órgãos humanitários, como a Cruz Vermelha, nos quais os médicos interessados devem comprovar proficiência inglesa ainda nas primeiras etapas de seleção de candidatos.

Congressos e simpósios internacionais

A participação em congressos e simpósios médicos também auxilia os profissionais da saúde a acompanhar as mudanças e inovações da medicina.

Por esse motivo, o inglês, além de facilitar a compreensão de todas as explicações técnicas apresentadas pelos convidados, viabiliza a troca de informações com outros profissionais participantes de eventos que ocorram fora do Brasil. 

Requisito para o ingresso em residência médica 

A fluência na língua inglesa também já se tornou requisito básico para aqueles que desejam se especializar em alguma área da medicina. Afinal, muitos dos processos seletivos de residência listam a proficiência escrita e oral como critério inicial eliminatório de candidatos.

No entanto, os testes avaliativos não são realizados pelos hospitais. Para isso, os interessados precisam fazer uma prova internacionalmente reconhecida, que avalie a fluência no idioma, como o Test of English Foreign Language (TOEFL) e o International English Language Testing System (IELTS). Dessa forma, a depender das notas obtidas, os candidatos estarão aptos a concorrer às vagas disponíveis de residência. 

Portanto, a língua inglesa faz-se indispensável na vida de qualquer médico ou estudante de medicina. Afinal, boa parte dos acervos acadêmicos de estudo e atualização são exclusivamente publicados em inglês.

Garantir a proficiência inglesa também atrai novas oportunidades de trabalho, como os serviços humanitários prestados por organizações filantrópicas internacionais e viabiliza a troca de contatos internacionais durante a participação em simpósios e congressos fora do Brasil.

Sem esquecer que já se tornou requisito básico para aqueles que almejam obter especializações. Por isso, saber se comunicar em inglês deve ser o foco imediato de qualquer (futuro) profissional da área da saúde.

Você já sabia sobre a importância do inglês para médicos? Conhece algum amigo ou parente atuante na área que, em pouco tempo, sentiu uma melhora significativa em sua vida profissional quando se tornou fluente? Conte-nos, deixando seu comentário logo abaixo.